#vaibrasil by Karen Hofstetter

#vaibrasil by Karen Hofstetter

Tiras por Adriano Kitani
Estamos vivendo um momento histórico no Brasil. E neste momento de inspiração, muito material artístico e inteligente é produzido de forma quase espontânea. Como as tirinhas criadas pelo ilustrador Adriano Kitani.
Destaque especial para a tirinha no topo deste post, baseada em um discurso que o filósofo Slavoj Zizek fez durante o Occupy Wall Street, e que se encaixa totalmente na situação atual do Brasil.

Tiras por Adriano Kitani

Estamos vivendo um momento histórico no Brasil. E neste momento de inspiração, muito material artístico e inteligente é produzido de forma quase espontânea. Como as tirinhas criadas pelo ilustrador Adriano Kitani.

Destaque especial para a tirinha no topo deste post, baseada em um discurso que o filósofo Slavoj Zizek fez durante o Occupy Wall Street, e que se encaixa totalmente na situação atual do Brasil.

image

image

image

Koning’s Soundtrack #52 - Leo Cavalcanti
O Leo Cavalcanti é um daqueles raros casos onde o talento para compositor, cantor, e arranjador estão presentes de forma notável em uma só pessoa. Desenvolvendo uma linguagem musical ímpar, não só pela originalidade da música, como pela qualidade que é executada.




Você pode não gostar do tipo de som ou da música em si, mas é inegável a potência vocal, lírica e musical do cara.
Leo começou a tocar violão com 9 anos de idade, de forma auto-didata, e sempre teve música presente na sua vida, influenciado por seu pai que é compositor.




O seu primeiro e único cd “Religar” chamou a atenção da crítica especializada e ganhou ótimos comentários de artistas renomados como Arnaldo Antues, Maria Gadu e Fernanda Takai.
Por Arthur Presser

Koning’s Soundtrack #52 - Leo Cavalcanti

O Leo Cavalcanti é um daqueles raros casos onde o talento para compositor, cantor, e arranjador estão presentes de forma notável em uma só pessoa. Desenvolvendo uma linguagem musical ímpar, não só pela originalidade da música, como pela qualidade que é executada.

Você pode não gostar do tipo de som ou da música em si, mas é inegável a potência vocal, lírica e musical do cara.

Leo começou a tocar violão com 9 anos de idade, de forma auto-didata, e sempre teve música presente na sua vida, influenciado por seu pai que é compositor.

O seu primeiro e único cd “Religar” chamou a atenção da crítica especializada e ganhou ótimos comentários de artistas renomados como Arnaldo Antues, Maria Gadu e Fernanda Takai.

Por Arthur Presser

Muito bom!
ladyshampoo:

Yes, I am from Brazil. No, I don’t live in the forest.

Muito bom!

ladyshampoo:

Yes, I am from Brazil. No, I don’t live in the forest.

(via alepresser)

Película #21 - Brazil
Apesar do nome, trata-se de um filme inglês de 1985 dirigido por  Terry Gilliam. Terry é um dos fundadores de Monty Python, onde se tornou um dos comediantes mais respeitados do mundo. Seu trabalho mais conhecido como diretor até agora é Os 12 Macacos (com Brad Pitt e Bruce Willis).
Brazil é um filme que vai na linha de 1984 (George Orwell) e Larânja Mecânica (Anthony Burgess), falando de uma sociedade pós-moderna onde os valores mudaram e a sociedade é permanentemente controlada pelo governo. 




Assisti a este filme ja a algum tempo mas lembrei dele e tive vontade de escrever sobre por conta desta ilustração abaixo criado por Swoboda para uma série de ilustrações minimalistas sobre filmes.

Lembro que na época em que ouvi falar do filme fiquei muito curioso por conta do nome e mais ainda pela trilha sonora, pois a música aquarela do Brasil aparece o tempo todo e também por ter Robert De Niro que faz uma participação especial. Além dele o elenco conta com Jonathan Pryce (que foi elogiado pelo seu trabalho neste filme) e Michael Palin (também da galera do MP).
O filme (que custou cerca de 15 milhões de dólares) foi um grande fracasso de bilheteria na época, talvez por ter um roteiro confuso e não comercial, mas hoje é tido como cult. Apesar do nome, a maior ligação do filme com nosso país é mesmo a trilha sonora, se bem que a burocracia excedente e ineficiente lembra muito o que vivemos por aqui. 
Mesmo com a falta de sucesso nos cinemas, Brazil concorreu a dois Oscars, sem sucesso: Melhor Roteiro Original e Melhor Direção de Arte. Venceu, no BAFTA, os prêmios de efeitos especiais e desenho e produção.
Por Anderson Tomazi

Película #21 - Brazil

Apesar do nome, trata-se de um filme inglês de 1985 dirigido por  Terry Gilliam. Terry é um dos fundadores de Monty Python, onde se tornou um dos comediantes mais respeitados do mundo. Seu trabalho mais conhecido como diretor até agora é Os 12 Macacos (com Brad Pitt e Bruce Willis).

Brazil é um filme que vai na linha de 1984 (George Orwell) e Larânja Mecânica (Anthony Burgess), falando de uma sociedade pós-moderna onde os valores mudaram e a sociedade é permanentemente controlada pelo governo. 

Assisti a este filme ja a algum tempo mas lembrei dele e tive vontade de escrever sobre por conta desta ilustração abaixo criado por Swoboda para uma série de ilustrações minimalistas sobre filmes.

Lembro que na época em que ouvi falar do filme fiquei muito curioso por conta do nome e mais ainda pela trilha sonora, pois a música aquarela do Brasil aparece o tempo todo e também por ter Robert De Niro que faz uma participação especial. Além dele o elenco conta com Jonathan Pryce (que foi elogiado pelo seu trabalho neste filme) e Michael Palin (também da galera do MP).

O filme (que custou cerca de 15 milhões de dólares) foi um grande fracasso de bilheteria na época, talvez por ter um roteiro confuso e não comercial, mas hoje é tido como cult. Apesar do nome, a maior ligação do filme com nosso país é mesmo a trilha sonora, se bem que a burocracia excedente e ineficiente lembra muito o que vivemos por aqui. 

Mesmo com a falta de sucesso nos cinemas, Brazil concorreu a dois Oscars, sem sucesso: Melhor Roteiro Original e Melhor Direção de Arte. Venceu, no BAFTA, os prêmios de efeitos especiais e desenho e produção.

Por Anderson Tomazi